Educadora FM

Rock in Rio: Saiba como foram os shows de sábado

Publicado em 01/10/2019 10:08

RIO — O sábado mais tranquilo contrapôs a caótica e chuvosa sexta-feira de abertura, e o Rock in Rio teve seu primeiro dia com cara de Rock, efetivamente. A noite foi encerrada de forma acachapante pelo Foo Fighters , depois de Weezer e Tenacious D divertirem o público no Palco Mundo com humor, hits, covers e muita energia, num Palco Mundo aberto por parceria entre os brasileiros do CPM 22 e do Raimundos . No Palco Sunset, a noite foi de discurso político . Detonautas e Titãs fizeram protestos em suas apresentações no circuito aberto pelo Ego Kill Talent e fechada com muita competência pelos veteranos do Whitesnake. Palco Mundo No grande show da noite, Dave Grohl e seus companheiros de Foo Fighters entraram, como sempre, com o pé na porta, de cara com os sucessos "The pretender" e "Learn to fly". Sem os percalços técnicos do Palco Sunset e com as três guitarras em brasa, a banda "desfilou" . O grupo e o público berraram, pularam e cantaram ao longo de mais de duas horas, ou seja, mais ou menos o de sempre. E o de sempre dos Foo Fighters é um dos melhores shows de rock do planeta. No último esquenta para os headliners, o Weezer trocou sua reputação de patrimônio do indie rock pela alegria de fazer um espetáculo em que todos pudessem cantar junto. O show, baseado nos hits do primeiro álbum da banda e em seu recente disco de covers agitou o público na estreia da banda de Rivers Cuomo no Rio de Janeiro. Mais cedo, o Tenacious D divertiu o público com uma mistura bem-sucedida de humor e música . Os comediantes Jack Black e Kyle Gass brincaram com sátiras do rock clássico, instrumentos de brinquedo, piadas e encenações entre as canções. O show teve participação de Júnior Groovador, baixista brasileiro que bombou nas redes sociais com versão forró de 'Smells like teen spirit', do Nirvana. A abertura do principal palco do festival ficou a cargo das bandas brasileiras CPM 22 e Raimundos . A parceria entre dois grandes nomes do punk hardcore brasileiro deu muito certo, e os donos de hits como 'Mulher de fases' e 'Regina let’s go' revezaram sucessos, com química e camaradagem. Palco Sunset Os veteranos do Whitesnake mostraram domínio da arte para fechar o palco secundario do festival com apresentação sem falhas . Os donos dos hits 'Is this love', 'Here I go again' e 'Love ain't no stranger' voltaram ao Rock in Rio 34 anos depois com um drible no tempo. A noite, porém, foi de discurso político nas apresentações de bandas brasileiras. Ana Cañas, convidada no show dos Titãs ao lado de Edi Rock e Érika Martins, roubou a cena com performance e entoou um "respeita as minas" . Os veteranos no festival encerraram a enérgica apresentação com críticas às operações policiais antes da execução do sucesso 'Polícia'. Antes, se apresentaram os Detonautas . Em show com problemas técnicos, a banda de Tico Santa Cruz apostou bem em hits, que garantiram apoio da plateia. Em show que contou com participação do grupo de rap Pavilhão 9, houve discursos contra a intolerância, coro do público contra o presidente Jair Bolsonaro e conscientização sobre o suicidio . O primeiro show do palco foi da banda paulistana Ego Kill Talent, que canta em inglês. Um bom público acompanhou a apresentação, que teve participação do skatista Bob Burnquist. O show funcionou para iniciar os trabalhos e aquecer o público . Sábado ainda teve Criolo, Liniker e Charlie Brown Jr. Quem foi à Cidade do Rock não pôde reclamar de falta de opções. O palco especial Itaú promoveu um show surpresa de Liniker e os Caramelows e Criolo. Na Rock District, a banda Charlie Brown Jr. emocionou o público com evocações a Chorão em show. Fonte/Reprodução: O GLOBO