Educadora FM

Disney fecha parques e cruzeiros por coronavírus

Publicado em 20/03/2020 15:55

Disney de Orlando será fechada até o fim de março; em 2018, os parques foram responsáveis pela metade dos quase 60 bilhões de dólares faturados pela empresa A Disney anunciou, nesta quinta-feira (12), que todos os parques temáticos da empresa – e também o Universal Studios Orlando – vão parar de operar nos próximos dias. O motivo é o mesmo que tem levado muitas empresas a optarem por home office e a pararem suas operações: a pandemia do coronavírus. A Disneyland da Califórnia foi a primeira a ter o anúncio de fechamento publicado e deixará de funcionar a partir deste sábado (14), mas até o final do mês. Em um comunicado enviado à agência de notícias AFP, um porta-voz da companhia afirmou que embora não tenhamos sido informados de nenhum caso de Covid-19 no Disneyland Resort, apenas examinamos as diretrizes da ordem executiva do governador da Califórnia, que recomenda suspender todos os eventos com mais de 250 pessoas. Já o Disney World, que fica em Orlando, na Flórida, encerrará as atividades temporariamente no fim deste domingo (15) e permanecerá dessa forma também até o final do mês. Os resorts da Disney no local ficarão abertos “até segunda ordem”, segundo a companhia, e o Disney Springs (centro de compras) permanecerá aberto. O parque da Universal em Hollywood será reaberto no dia 28 de março, enquanto o de Orlando permanecerá fechado até o fim deste mês e o do Japão até o dia 22 de março. Ao mesmo tempo, os cruzeiros da empresa também serão cancelados e permanecerão sem novas datas até o final de março. A empresa afirmou ao jornal norte-americano The New York Times que continuará pagando o salário dos funcionários durante esse período. No complexo de Orlando, a companhia emprega 75 mil pessoas. Já na Disneyland da Califórnia são 31 mil colaboradores. O coronavírus é um problema para Disney há algum tempo em outros cantos do mundo. Na Ásia, quase toda a operação de parques não está operando. Os parques chineses ficarão fechados até o fim de março ou até por mais tempo, de acordo com a companhia. Por ano, 51 milhões de pessoas visitam os complexos no Japão e na China. Em Xangai, onde o surto do coronavírus tem diminuído, as áreas de compras e alimentação serão reabertas aos poucos. Por causa dos fechamentos dos parques chineses, a Disney estima que pode perder cerca de 280 milhões de dólares. Ao todo, as propriedades da empresa do Mickey receberam 157 milhões de visitantes em 2018, segundo a Themed Entertainment Association (TEA), que acompanha a movimentação do setor. No mesmo ano, os parques também foram responsáveis pela metade dos quase 60 bilhões de dólares faturados pela empresa. Fonte/Reprodução: Exame